Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

CMS publica seu 1000° artigo

  • Publicado: Quarta, 24 de Junho de 2020, 17h27
  • Última atualização em Quarta, 24 de Junho de 2020, 18h19
  • Acessos: 567

O Comitê de Publicações da Colaboração Científica Compact Muon Solenoid (CMS) – um dos quatro grandes experimentos do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN) – divulgou, na última semana, a notícia de que submeteu seu milésimo artigo para publicação, alcançando assim um feito inédito na história dos experimentos em altas energias. A seguir, a íntegra da notícia, traduzida para o português pelo pesquisador titular do Centro Brasileiro de Pesquisas Física (CBPF) Gilvan Alves, que também fez breves acréscimos ao comunicado oficial para relatar a participação brasileira no experimento.

 

A Colaboração Científica Compact Muon Solenoid (CMS) – numa tradução livre, Solenoide Compacto de Múons – alcançou marco histórico, ao enviar seu 1000º artigo para publicação no último dia 19 de junho. Ao fazer isso, o CMS se tornou o primeiro experimento na história da física de altas energias a atingir esse impressionante número de artigos.

O experimento CMS – que conta com a participação de pesquisadores do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no Rio de Janeiro (RJ) – é uma colaboração internacional responsável pela construção e operação de um dos maiores detectores de partículas em funcionamento no Grande Colisor de Hádrons (LHC),  do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN).

Atualmente, além do CBPF, a Colaboração CMS conta com a presença de cerca de 200 instituições em mais de 40 países, sendo o número de pesquisadores em torno de 4 mil – entre físicos, engenheiros, profissionais de TI e estudantes.

 O primeiro artigo publicado pela Colaboração CMS – listado na página da colaboração – foi uma descrição do detector, submetida no início de 2008. No ano seguinte, seguiu-se uma série de artigos detalhando a calibração e o ajuste dos subdetectores usando, para isso, raios cósmicos.

As primeiras publicações de resultados em física, com base em colisões do LHC, apareceram logo após o início da operação do acelerador, no final de 2009, sendo publicadas a uma taxa média de cerca de 100 artigos por ano desde então – um gráfico representando o número de publicações ao longo dos anos, dividido por tópicos de física, também está disponível na página de resultados do CERN.

O impacto científico das publicações do CMS foi do mais alto nível. Aproximadamente, um terço é publicado em periódicos como Physical Review Letters ou Physics Letters B, nos quais os padrões de impacto e pontuação são ainda mais rigorosos do que os exigidos para artigos mais longos. De fato, vários artigos do CMS foram destacados como ‘seleção do editor’, testemunho da maior importância desses resultados.

Por feliz coincidência, o 1000° artigo do CMS foi enviado perto do 8º aniversário do artigo mais notável publicado até agora pela colaboração, o qual relata a observação do bóson de Higgs, submetido em julho de 2012.

Não só o número de trabalhos produzidos pelo CMS alcançou nível sem precedentes, mas também a diversidade de tópicos de física abordados é incomparável. Há apenas uma década, a física de altas energias explorou três tipos diferentes de aceleradores para realizar separadamente pesquisas em condições extremas de energia e intensidade, bem como colisões de íons pesados. O design avançado do detector CMS – fruto de longo programa de pesquisa e desenvolvimento –, bem como a notável flexibilidade do acelerador LHC, permitiram que o CMS publicasse resultados de primeira classe, sondando esses três limites do conhecimento.

O sucesso excepcional do CMS é testemunho da habilidade e dedicação da colaboração, e o crédito para atingir o marco de 1 mil publicações pertence a todos os seus membros.

 

Mais informações:

Publicações CMS:

http://cms-results.web.cern.ch/cms-results/public-results/publications/CMS/index.html

Gráfico: http://cms-results.web.cern.ch/cms-results/public-results/publications-vs-time

CERN: https://home.cern/

registrado em:
Fim do conteúdo da página