Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Divulgação científica: da teoria à prática

Publicado: Terça, 03 de Dezembro de 2019, 10h55 | Última atualização em Quinta, 26 de Dezembro de 2019, 11h51 | Acessos: 1373

Marcelo Knobel 

Universidade Estadual de Campinas

 

   

 

Dia: 04/12 (quarta-feira)

Horário: 16h

Local Auditório Ministro João Alberto Lins de Barros, no CBPF, à rua Dr. Xavier Sigaud 150, Urca, Rio de Janeiro (RJ)

Será servido um café antes do Colóquio.

Entrada gratuita, sem necessidade prévia de inscrição. Público externo deve apresentar documento de identificação na portaria.

Transmissão ao vivo pelo canal do CBPF no YouTube (www.youtube.com/CBPFvideos), onde os eventos anteriores estão arquivados.

 

 

 

Resumo:

Torna-se cada vez mais importante o papel das Universidades e Instituições de Pesquisa na atuação direta em práticas de divulgação científica, que cada vez mais são consideradas parte essencial da atividade de pesquisa. Nesse sentido, ações individuais de pesquisadores e grupos de pesquisa estão cada vez mais presentes no âmbito dessas instituições. Entretanto, uma organização ativa no contexto internacional deve participar com ações e projetos institucionais em divulgação científica, permitindo ações mais efetivas e ordenadas dessas práticas, buscando sempre um alcance e visibilidade maiores. Naturalmente, esse alcance refletirá na própria reputação, mas ele ganha um contorno especial no caso de Universidades e Instituições públicas ou de pesquisas que contam com financiamento público, que têm a obrigação de prestar contas à sociedade que as financia. Infelizmente, entretanto, as ações coordenadas de divulgação científica ainda são incipientes na maioria das Universidades e institutos de pesquisa latino-americanas, que deveriam assumir um papel mais atuante nesta esfera fundamental da atividade científica.

Nesta apresentação serão discutidas algumas possíveis ações de divulgação científica que os educadores e cientistas podem realizar, sempre ressaltando que o importante é estimular, antes de tudo, o pensamento crítico e a discussão. Serão comentadas as dificuldades e vantagens de estimular o engajamento da sociedade em assuntos de ciência, tecnologia e inovação, e resultados recentes na área ainda pouco desenvolvida de “percepção pública da ciência”. Será também discutida a presença cada vez mais frequente das pseudociências em diferentes meios, que se propagam com mais facilidade nas redes sociais e em aplicativos de comunicação. Finalmente, serão mostradas algumas ações que vem sendo realizadas na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), como as atividades do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor), o Museu Exploratório de Ciências e a Editora.

 

pastedGraphic.png

Marcelo Knobel

(Crédito: Google Images)

 

 

BREVE CV: 

Marcelo Knobel é professor titular de Física e reitor, desde abril de 2017, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). É também membro do Conselho de Administração do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Antes de assumir a Reitoria da Unicamp, dirigiu, de agosto de 2015 a novembro de 2016, o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) do CNPEM. Ocupou outros cargos de liderança na Unicamp, entre os quais o de pró-reitor de Graduação, de 2009 a 2013. Knobel graduou-se (1989) e doutorou-se (1996) em Física pela Unicamp. É fellow da Eisenhower Fellowships (2007), da John Simon Guggenheim Memorial Foundation (2009) e da Fundação Lemann (2015). Já publicou mais de 250 artigos científicos e 15 capítulos de livros, e frequentemente escreve textos de opinião e de divulgação científica para jornais e revistas.

 

Mais informações sobre o palestrante:

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/3557992461593136

registrado em:
Fim do conteúdo da página