Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Pós-doc do CBPF integra projeto premiado

Publicado: Terça, 08 de Dezembro de 2020, 13h10 | Última atualização em Terça, 08 de Dezembro de 2020, 14h17 | Acessos: 83

O pós-doutorando Diego Torres Machado, do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no Rio de Janeiro (RJ), integra a iniciativa GalileoMobile, que teve um de seus projetos de divulgação científica reconhecido por um dos prêmios de maior prestígio nessa área.

O Falling Walls Engage premia os 10 melhores projetos de divulgação de ciência em todo o mundo. Um dos ganhadores da versão deste ano foi o projeto ‘Amanar – sob o mesmo céu’, do GalileoMobile, organização sem fins lucrativos que aproxima a astronomia moderna de jovens de todo o mundo – com ênfase em regiões de pouco ou nenhum acesso a outras ações de divulgação.

O projeto vencedor está em consonância com os objetivos gerais do GalileoMobile: despertar a vontade de aprendizado, incentivar o pensamento crítico e elevar a consciência de cidadania global.

O Amanar – um dos muitos projetos até agora idealizados e desenvolvidos pelo GalileoMobile – foi realizado em colaboração com a Associação Canária de Amizade com o Povo Saarauí e com o Instituto de Astrofísica das Canárias (Espanha).

O objetivo central do projeto é inspirar crianças e professores dos campos de refugiados saarauís nas proximidades de Tindouf, na Argélia, e nas Ilhas Canárias, na Espanha.

A crise dos saarauís é uma das mais prolongadas do mundo, com refugiados vivendo em umas das regiões mais secas do deserto do Saara desde 1975. O acesso a recursos básicos é muito limitado, e as agências da Organização das Nações Unidas (ONU) têm trabalhado para identificar necessidades mais urgentes dessa população.

O Amanar – termo que designa o grupo de estrelas ‘Pleiades’ nas chamadas línguas berberes – pode ser visto como esforço da comunidade astronômica internacional para promover a Agenda 2030 de Desenvolvimentos Sustentáveis da ONU, no sentido de avançar direitos e sanar necessidade dos grupos mais vulneráveis no planeta.

 

Integrantes da GalileoMobile atuando no projeto Amanar no campo Dakhla, na Argélia

(Crédito: Sandra Benítez)

 

Continuidade assegurada

O projeto Amanar foi realizado em duas etapas: i) atividades de divulgação de astronomia e visitas a observatórios para crianças refugiadas que passam o verão nas Ilhas Canárias como parte do programa Férias em Paz; ii) atividades de extensão de astronomia e oficinas (workshops) para professores em escolas nos campos de refugiados de El Aiune, Smara, Boujdour, Awserd e Dakhla.

Como resultado desse trabalho, realizado no segundo semestre do ano passado, cinco audiovisuais (entre eles, um longa-metragem) estão sendo elaborados com material coletado.

Com a premiação – cujas verbas vieram do Escritório para o Desenvolvimento da Astronomia (OAD) –, o Amanar teve sua continuidade assegurada. Além disso, o prestigioso periódico científico britânico Nature Astronomy trouxe artigo sobre o projeto.

Segundo Machado, a expectativa é retornar, ano que vem, aos campos na Argélia. Por causa da pandemia, estão sendo produzidas aulas em formato de podcast para envio por meio de whatsapp, mantendo, assim, a continuação da formação a distância dos professores. Machado é orientado em seu pós-doutorado pelo pesquisador titular do CBPF Ignácio Bediaga.

 

Meninas saarauís fazendo atividades práticas em uma aula do projeto Amanar

(Crédito: Sandra Benítez)

 

GalileoMobile

Criada no final de 2008, inspirada nos preparativos para o Ano Internacional da Astronomia do ano seguinte, a GalileoMobile é administrada por astrônomos, educadores e comunicadores da ciência. Já fez ações em países como Chipre, Uganda, Índia e Argélia, bem como no continente sul-americano.

Entre os objetivos do programa, estão: i) visitar escolas e comunidades e organizar atividades práticas de astronomia, observações do céu e doar material educacional; ii) proporcionar às escolas e aos professores as ferramentas e os conhecimentos para realizar atividades de forma independente, facilitando a sustentabilidade das ações; iii) incentivar a paz e a compreensão mútua, reconhecendo o valor dos conhecimentos tradicionais relacionados com a astronomia e a cosmovisão das comunidades visitadas.

 

Carla Lustoza

Núcleo de Comunicação Social

CBPF

 

Mais Informações:

Site GalileoMobile: https://www.galileomobile.org/

Projeto Amanar: https://www.galileomobile.org/amanar

Nature Astronomy: https://go.nature.com/3fP3S3x

Palestra no CBPF: https://www.professorglobal.com.br/videoaula/4001

registrado em:
Fim do conteúdo da página